18 de dez de 2015

Magnificat

Primeira palavra do cântico de ação de graças cantado por Maria, no momento da visita de sua prima Santa Isabel (Lc 1,46-55). O texto do Magnificat é um resumo perfeito da espiritualidade dos salmos, inspirado nos pobres, isto é, naqueles que se colocam totalmente aos cuidados de Deus e têm em Deus a única segurança de suas vidas.
            Magnificat representa também a fonte espiritual de Maria, Mãe de Jesus, que viveu em humilde disposição, colocando-se totalmente a serviço de Deus. O canto Magnificat é o reconhecimento de que Deus realizou maravilhas em sua vida.
            Na Liturgia, o Magnificat é cantado todos os dias pela Igreja, na celebração das Vésperas, durante a Liturgia das Horas, reconhecendo que Deus guia a Igreja e nela realiza maravilhas. Em todos os finais de dia, portanto, a Igreja canta o Magnificat para entoar um canto de ação de graças por aquilo que Deus fez em seu favor no decorrer daquele dia. Deste modo, a Igreja assume também como seu o cântico de Maria, reconhecendo em Maria a primeira cristã, membro do corpo eclesial, que participa da glória divina.
            O costume de cantar o Magnificat na Liturgia das Vésperas, dizem os estudiosos, foi iniciado na Idade Média. Também a Liturgia da Igreja anglicana canta o Magnificat na sua celebração vesperal.
Nas celebrações solenes das Vésperas, o Magnificat é cantado ou proclamado de pé e, o altar é incensando durante o canto do Magnificat. Antes de iniciar o canto do Magnificat, por se tratar de um cântico evangélico, os celebrantes fazem o Sinal da Cruz. 
 

Duas citações do Magnificat na Instrução Geral da Liturgia das Horas – IGLH

IGLH 50: — Magnificat é um hino de louvor da Igreja
Em seguida, diz-se solenemente, com sua antífona, o cântico evangélico, a saber: para as Laudes, o cântico de Zacarias (Benedictus); e para as Vésperas, o cântico da Virgem Maria (Magnificat). Esses cânticos, ratificados pelo costume secular e popular da Igreja Romana, expressam louvor e ação de graças pela Redenção. As antífonas do Benedictus e de Magnificat é indicada conforme o dia, o tempo ou a festa.

IGLH 266: — Iniciar o Magnificat com o Sinal da Cruz
Todos fazem o sinal da cruz, da fronte ao peito e do ombro esquerdo ao direito:
a) no princípio das Horas, quando se diz: Vinde, ó Deus, em meu auxílio;
b) no início dos cânticos evangélicos, Benedictus, Magnificat, Nunc dimíttis.

(SV)
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Participe. Deixe seu comentário aqui.