26 de mai de 2017

Embolismo do Pai nosso

Embolismo é um rito litúrgico que se inspira e dá continuidade a uma oração. Exemplo evidente de embolismo é a continuidade, nos ritos preparatórios para a Comunhão, da oração do Pai Nosso, servindo-se do final da Oração do Senhor para iniciar uma nova prece. Assim, o Pai nosso termina com o "livrai-nos do mal" e o embolismo inicia-se com "livrai-nos de todos os males...". 
O embolismo do Pai Nosso foi introduzido no Missal pelo Papa Gregório e contava ainda com uma suplica intercessora a Nossa Senhora e a santos, mas sempre intercedendo o livramento do mal. A reforma litúrgica (1963) enxugou o texto nos moldes propostos do Missal de Paulo VI. 
Existe claramente uma finalidade reforçativa no embolismo, no sentido que reforça o pedido de uma necessidade para todos os celebrantes junto de Deus: serem livres do mal para viverem na paz divina. Caracteriza-se também como prece presidencial, pela qual o sacerdote assume sua função de interceder junto a Deus uma graça em favor de todo o povo. 
O conteúdo oracional do embolismo do Pai Nosso intercede o livramento do mal e o dom da paz em vista de participar da vida eterna. Duas graças que são consequentes: quando se intercede o livramento do mal, entra-se no contexto da paz que é caminho e condição para participar, já neste vida, da eternidade divina. Num mundo violento e numa sociedade marcada pela maldade, o embolismo é uma suplica necessária, que jamais deveria ser omitida pelos padres. 

Modo comunicativo 
Do ponto de vista comunicativo, o embolismo do Pai Nosso é uma típica oração presidencial, como mencionado, por isso feita unicamente pelo padre, com os braços levantados de modo orante. A assembléia participa da oração ouvindo-a silenciosamente e intercedendo a libertação e o livramento do mal em suas vidas.
Sendo orante, o embolismo não pode ser rezado rapidamente, mas recitado como prece, seja na pontuação como na entoação da voz. Tenho observado que alguns padres rezam o embolismo de modo atropelado, praticamente automatizados, sem nenhuma atenção ao conteúdo. Seria bom que refletissem sobre o conteúdo do mesmo e a necessidade dele para o momento atual que vivemos.

Doxologia do embolismo 
O embolismo conclui-se com uma doxologia: "vosso é o Reino, o poder e a glória para sempre". Doxologia é uma aclamação que proclama a glória divina. No caso da conclusão do embolismo, a glória divina se manifesta como presença do Reino entre nós e como poder divino, capaz de nos livrar do mal e nos conceder a sua paz, como irá recitar a oração da paz, que segue à doxologia do embolismo.
Sendo doxologia, caracteriza-se como exclamação de louvor da assembléia, proclamando o Reino, o poder e a glória divina por todo sempre, por toda a eternidade. Isso significa que a doxologia pode ser proclamada de modo recitativo, como normalmente se faz, ou cantada. Nas Missas solenes e naquelas dominicais seria interessante que a doxologia fosse cantada. 
Serginho Valle 
2017


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Participe. Deixe seu comentário aqui.