15 de dez de 2017

Equipes de celebrações paroquiais

Num texto anterior a este, no contexto da organização da Pastoral Litúrgica Paroquial (PLP), dizia que a PLP é formada basicamente por duas equipes: a Equipe Litúrgica e as Equipes de Celebrações. Dizia também que pela formulação gramatical, entende-se que existe apenas uma Equipe Litúrgica (no singular) e várias Equipes de Celebrações (no plural). O tema dessa reflexão é sobre as Equipes de Celebrações. Tratarei suscitamente, no contexto que um artigo breve comporta.

Funções das Equipes de Celebrações
As equipes de celebrações são encarregadas diretamente das celebrações realizadas na comunidade. Esta função tem maior abrangência e, até mesmo, mais visibilidade, no que se refere às equipes encarregadas das celebrações da Eucaristia, especialmente aqueles dominicais. Mas, as Equipes de Celebrações, no contexto da PLP, não se limitam àquelas equipes. Existem Equipes de Celebrações especificas para o Batismo, o Matrimônio, Penitência e Reconciliação, a Liturgia das Horas, das Exéquias e de Bênçãos e, ainda de acordo com o costume da comunidade, equipes responsáveis pelas novenas e devoções populares. Além de Equipes de Celebrações para momentos especiais da comunidade, como na Semana Santa e no Natal.
           
Organização
            Em termos de conduta ideal para o bom andamento das celebrações, no que se refere às celebrações dominicais — que na prática é o que mais atua — cada Equipe de Celebração é responsável pela Liturgia de uma Missa mensal. Em assim sendo tem-se, por exemplo, a Equipe de Celebração da missa das 19h no sábado, a equipe da Missa das 8h do Domingo, a equipe da Missa com crianças, e assim em diante. Além disso, seria interessante considerar Equipes de Celebrações também para as Missas semanais.
A proposta de que cada Equipe de Celebração tenha uma Missa por mês possibilita tempo suficiente para organizá-la bem, favorecendo celebrações litúrgicas de qualidade. Reconheço que isso não é possível em algumas comunidades. Mesmo assim, o que não se pode admitir é o que chamo de “pastoral do laço”, que consiste em “laçar” leitores, comentaristas, intercessores das preces da comunidade... antes da celebração. A “pastoral do laço” é a visibilidade da desorganização de uma paróquia porque a Liturgia é o espelho da comunidade.

Atividades da Equipe de Celebração
            Cada Equipe de Celebração tem a função de preparar com certa antecedência as celebrações, de forma criativa, simples, alegre, acolhedora, participativa e adaptativa à cultura e à experiência religiosa da comunidade. Entre as atividades, destaque para:
·         organizar o espaço celebrativo de modo agradável, acolhedor e orante.
·         preparar tudo o que for necessário para uma determinada forma celebrativa. Isto refere-se especialmente às celebrações sacramentais.
·         prever os diferentes elementos e momentos da celebração, tendo em vista a integração entre o Mistério celebrado e a vida das pessoas.
·         definir as expressões e gestos simbólicos.
·         escolher os cânticos e hinos levando em conta os momentos da celebração, o tempo litúrgico e a experiência da comunidade.
·         distribuir correponsavelmente as diversas funções e serviços.
·         preparar-se técnica e espiritualmente para o desempenho competente das funções litúrgicas, tendo em vista a participação ativa da assembléia.
·         executar ritualmente o que a equipe preparou e/ou auxiliar na execução dos elementos rituais.
·         avaliar, periodicamente, a prática celebrativa à luz da vida da comunidade eclesial e da vida como um todo, isto é, enraizada na realidade do bairro, da cidade ou do meio rural.

Composição de uma Equipe de Celebração
            Para desempenhar tais funções cada Equipe de celebração é formada por várias pessoas que desempenharão os diversos ministérios nas celebrações. Sendo assim, fazem parte da Equipe de Celebração:
·         arranjadores = responsáveis pelo espaço celebrativo
·         ministério da acolhida
·         ambientadores ou comentaristas (se necessário)
·         compositores, cantores e instrumentistas
·         leitores
·         salmistas
·         ministros da distribuição da Sagrada Eucaristia
·         ministros que presidem = padre e diácono

Formação e competência
            Para se fazer parte das Equipes de Celebrações existem algumas exigências, tais como exemplo de vida cristã (testemunho), espiritualidade e competência naquilo que é designado fazer. Assim, quem ocupa o ministério do leitorato precisa saber ler e interpretar o que lê; quem ocupa o ministério da música deve saber cantar ou executar com arte seu instrumento; quem ocupa o ministério da ornamentação deve ter bom gosto e senso artístico, e assim por diante. A boa vontade é sempre necessária, mas a competência é imprescindível para que as celebrações sejam bem celebradas, participadas e orantes.
            Em termos de competência, os membros de Equipes de Celebrações devem ter possibilidades de estar em constante processo de formação, seja em cursos específicos de sua area de atuação, ou cursos de aprofundamento da doutrina e pastoral em geral. Tal formação é responsabilidade da Equipe Litúrgica, coordenadora da PLP.


Duas indicações bibliográficas
            Para maior aprofundamento no tema sugiro ler e estudar meu livro Pastoral Litúrgica, uma proposta, um caminho (em formato ebook; pode ser adquirido pelo site www.liturgia.pro.br). Outro Livro: CNBB. Guia litúrgico-Pastoral. 2. ed. Brasilia: Ed. CNBB, 2007.
            As orientações presentes neste artigo encontram-se nestes dois livros sugeridos.
Serginho Valle
Dezembro 2017




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Participe. Deixe seu comentário aqui.