19 de mar de 2018

Férias – Ano Litúrgico

Na linguagem litúrgica eclesial, férias são os dias das semanas, de segunda-feira ao sábado à tarde. Assim, a semana cristã considera o Domingo como o primeiro dia da semana, seguida dos demais dias, a começar pela segunda-feira.
Por férias, se entende também todos os dias da semana, nos quais não estão previstas solenidades, festas ou memórias obrigatórias. Tais indicações encontram-se no Diretório Litúrgico, editado cada ano, com vigência a partir do 1º Domingo do Advento, com o qual se inicia o Ano Litúrgico concluindo antes da véspera do sábado da 34ª semana do Tempo Comum.
Nas férias, pode-se utilizar qualquer um dos 34 formulários das Missas Dominicais previstos no Missal Romano. Além disso, não havendo outra indicação, por motivos pastorais, pode-se servir dos rituais das Missas Votivas e das Missas para Diversas Circunstâncias, como previsto no Diretório Litúrgico.

Nota histórica
O termo “férias” é de origem latina para significar dia livre, dia sem trabalho, como é o sentido das férias anuais para o trabalhador, em nossos dias. Na antiguidade, “férias” era um dia livre, no qual ninguém e, nem mesmo os escravos, eram obrigados a trabalhar. Nas férias, igualmente, eram proibidas as sessões em tribunais.
            Com o crescimento e a expansão do cristianismo mudou-se este sentido e os dias depois do 1º Dia da Semana – Domingo – passaram a ser considerados como dias de trabalho e o termo festas passou a designar as celebrações do Mistério da Salvação e, posteriormente, celebrações de Nossa Senhora e de padroeiros.


Diretório Litúrgico
Os dias que seguem o Domingo, chamados dias de semana ou férias, celebram-se de diversos modos, segundo a importância própria (cf. NALC 16). Para não repetir as orações das missas do Domingo, é conveniente que, no Tempo Comum e não havendo celebração especial, se utilizem nesses dias também os formulários das Missas votivas e para diversas circunstâncias. (DL 1.2)


Distribuição das Leituras para os dias da semana – OLM 69
A distribuição das leituras para os dias de semana foi feita com estes critérios:

1. Toda missa apresenta duas leituras: a primeira do Antigo Testamento ou dos Apóstolos (isto é, das Epístolas dos Apóstolos ou do Apocalipse), e no Tempo Pascal dos Atos dos Apóstolos; a segunda, do Evangelho.

2. O ciclo anual do Tempo da Quaresma ordena-se segundo princípios peculiares que levam em consideração as características deste tempo, a saber, sua índole batismal e penitencial.

3. Também nos dias de semana do Advento e dos tempos do Natal e da Páscoa, o ciclo é anual e, portanto, as leituras não variam.

4. Nos dias de semana das trinta e quatro semanas do Tempo Comum, as leituras evangélicas se distribuem num só ciclo que se repete cada ano. A primeira leitura, ao contrário, distribui-se em duplo ciclo que se lê em anos alternados. O ano primeiro emprega-se nos anos ímpares; o segundo, nos anos pares.
Deste modo, também o Elenco das Leituras da Missa para os dias de semana, da mesma forma que nos domingos e festas, põem-se em prática os princípios da composição harmônica e da leitura semicontínua, de maneira semelhante, quando se trata daqueles tempos que ostentam características peculiares ou do Tempo Comum.

Celebrações feriais
            Se durante os chamados “Tempos Fortes” (Tempo do Natal e da Páscoa) o Missal propõe textos eucológicos (orações) para cada dia ferial, durante as semanas do Tempo Comum, a Liturgia ferial é mais livre ou, se preferirmos, mais adaptável às escolhas do padre celebrante ou a alguma necessidade pastoral da comunidade.
            Algumas práticas devocionais, especialmente aquelas de longa tradição na Igreja, propõem alguns dias da semana com formulários para Missas de Nossa Senhora, aos sábados, do Sagrado Coração de Jesus, nas primeiras sextas-feiras de cada mês e as Missas de 7º, 30º e um ano de morte.
            É conveniente lembrar que, no Rito Romano comum, alguns dias feriais, especialmente durante a Quaresma, excluem as celebrações memoriais previstas para aquela data, mesmo se a oração da memória possa ser usada naquela data. Na quarta-feira de cinzas e na Semana Santa as memórias e outras comemorações são completamente excluídas.
Serginho Valle
Março de 2018




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Participe. Deixe seu comentário aqui.