14 de set de 2016

Diácono. O ministério diaconal na Liturgia da Palavra

Na Liturgia da Palavra, o diácono exerce uma das dimensões mais característica do seu ministério: aquela de ser servidor, de estar a serviço do Evangelho, proclamando-o celebrativamente na Liturgia da Palavra. De fato, a competência da proclamação do Evangelho, na Liturgia da Palavra, da Missa e dos demais sacramentos, pertence ao ministério ordenado. Do ponto de vista sacramental, o diácono celebra na Liturgia da Palavra, através do rito da proclamação do Evangelho, aquilo que testemunha em sua missão diaconal como servidor do Evangelho vivo, através do serviço fraterno.
Na proclamação do Evangelho, o diácono age “in persona Christi”. Ele se coloca a serviço da Igreja para testemunhar o projeto divino e propor o Evangelho como caminho do discipulado e como estrada da Salvação. Neste sentido de agir “in persona Christi”, o diácono se espelha em Jesus, que é o diácono do Pai, aquele que fez da evangelização um serviço; que “veio para servir e não para ser servido (Mt 10,45).” Em cada proclamação do Evangelho diante da assembléia celebrante, o diácono se torna sacramento do Cristo evangelizador e testemunha a proclamação do Evangelho como verdadeiro serviço.
A dimensão serviçal do diácono, na proclamação do Evangelho, é perceptível em todo rito da aclamação do Evangelho. O diácono aproxima-se de Cristo pastor, sacramento do Cristo que preside a Eucaristia, na pessoa de bispo ou do padre, intercedendo a benção purificadora, para ser purificado no coração e nos lábios, condição necessário para proclamar dignamente o Evangelho. Depois, dirige-se ao Cristo que suporta o Evangelho, simbolizado no altar, para tomar em suas mãos o Cristo Palavra viva do Pai, simbolizado no Evangeliário, e conduzi-lo em procissão até o ambão. Procissão feita de poucos passos, mas simbólica por remeter aos passos que o evangelizador faz para evangelizar nas estradas do mundo.
Todos estes elementos ajudam a perceber a riqueza da proclamação do Evangelho realizada pelo diácono, no momento alto e central da Liturgia da Palavra: a proclamação do Evangelho. Ajudam também a compreender a importância simbólica de usar o Evangeliário nas Missas dominicais, de deixar o Evangeliário sobre o altar, de realizar a procissão da aclamação ao Evangelho do altar até o ambão e, por fim, de proclamar com alegria e com boa comunicação o Evangelho.

Diácono: homilia e oração dos fiéis
            Embora esteja determinado que o padre que preside a Eucaristia faça a homilia, esta poderá ser feita também pelo diácono, como previsto na IGMR 66.
            Quanto a oração dos fiéis, o papel do diácono consiste em propor as intenções, enquanto que as preces são proclamadas por leigos. Assim, por exemplo, o diácono propõe a intenção de rezar pela Igreja e pelos pastores com estas palavras: “rezemos pela Igreja, pelo Papa e pelos Bispos”. Logo em seguida um intercessor proclama a prece diante da assembléia.
Serginho Valle

2016
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Participe. Deixe seu comentário aqui.